top of page

Já ouviu falar no Ponto A?

Região do canal vaginal mais próxima ao útero pode trazer prazer.


Clitoris, Ponto G, vulva, vagina. Essas são algumas palavras já conhecidas do corpo feminino biológico. Mas você já ouviu falar no Ponto A? Um nome ainda não tão conhecido e que pode ser explorado na hora da relação sexual.

O que é exatamente? É uma dobrinha no canal vaginal, que fica quase sempre sob o colo do útero. Exatamente por isso ela é muito pouco estimulada, apesar de bem sensível por conter diversas terminações nervosas. Quando estamos excitadas, o nosso útero contrai e sobe, deixando o canal vaginal com uma extensão maior e essa área, até então escondida, aparece no momento de excitação.

Por ser mais profundo e bem próximo ao útero, muitas mulheres têm receio de estimular devido a uma possível dor que possa ter ao encostar o penis ou o vibrador no colo do útero.

Mas há algumas formas de estimular a região de forma mais segura. Assim você entenderá se te dá prazer ou não. Lembre-se que cada mulher é única, então o que pode ser prazeroso para mim pode não ser para você e vice-versa. O importante é experimentar!

E como fazer: comece com um vibrador ou os dedos. Lembrando sempre que introduzir algo na vagina (dedos, vibrador, penis) deve estar limpo e higienizado para evitar infecções, ok?

Procure estimular essa região que fica na parte da frente (meio que na barriga) do canal, em contato com o útero. Durante um momento de excitação, massageie com movimentos suaves a área e repare como seu corpo reage. Deu certo a autoestimulação? Então você pode partir para a relação sexual.

Posições que geram o prazer no Ponto A são as que facilitam uma penetração mais profunda:

-com as pernas para cima (ou com os joelhos perto da barriga): encurtam o canal vaginal, permitindo que o pênis entre mais profundamente.

- de quatro: o canal vaginal está mais liberado para uma penetração mais profunda. Mas importante: bater o pênis no colo do útero pode causar dor. Peça para a parceria ir com cuidado.


*Texto originalmente publicado para o site da Vogue Brasil.


Comentarios


bottom of page