top of page

A vez dos hidratantes intravaginais

Novos produtos no mercado auxiliam na solução de um problema recorrente às pessoas com vulva: a secura vaginal.

A vulva e a vagina respondem quase imediatamente a questões que envolvem nosso sistema imunológico. Por exemplo, você já teve corrimento após o uso de medicamentos fortes, gripe severa ou picos de estresse? O canal vaginal possui uma flora de bactérias e fungos que pode ser afetada por diversas questões ligadas à saúde física e mental, e devemos ficar de olho no bom funcionamento dela para garantir o bem-estar da região íntima.


Outra questão recorrente às pessoas com vulva é o ressecamento vaginal. “Isso ocorre porque a mucosa da vagina, em alguns momentos, passa por um desequilíbrio de Ph, trazendo também um desequilíbrio de toda a flora vaginal, o que leva à irritação, coceira e até o risco de infecções", explica a ginecologista Carla Montaldi Maruxo Youssef. O ressecamento pode surgir no período do climatério, da menopausa, durante o uso de medicamentos como antibióticos, corticóides ou anti-inflamatórios, após o parto, em quem enfrenta infecções urinárias por repetição, tratamentos contra o câncer e outras doenças severas. Em resumo, momentos de estresse no corpo que alteram a flora vaginal.

De olho neste problema, que pode ocorrer em qualquer idade, um novo segmento de medicamentos está surgindo: os hidratantes intravaginais. "Quando você faz o uso dos hidratantes, o maior benefício é recompor esse equilíbrio vaginal e, em paralelo, há uma melhora do ressecamento, trazendo de volta a lubrificação”, completa a ginecologista, que reforça a importância de consultar um médico especialista antes de incluir qualquer produto na sua rotina de cuidados.

As embalagens com 10 aplicadores são pensadas para a utilização ao longo do mês, a cada três dias. Ao deitar, insere-se na vagina o aplicador com o hidratante e o produto age durante 72 horas. Você pode pensar que, ao levantar no dia seguinte, ele vai escorrer, mas isso não ocorre. O produto é absorvido pela mucosa vaginal, hidratando a área e auxiliando na melhora do desconforto causado pela secura vaginal, que pode gerar desde a sensação de ardência até impedir uma relação sexual.


A maioria desses novos produtos possui ácido lático, ácido hialurônico e vitamina E, componentes que mantêm o Ph da vagina ácido, proporcionando um ambiente saudável para a flora e uma barreira mais espessa ao canal vaginal, além de serem antioxidantes. “Esses produtos são livres de hormônios, não contém álcool, nem parabenos”, conclui Carla Montaldi.

Apesar de auxiliar na melhora da lubrificação, os hidratantes intravaginais são diferentes dos lubrificante íntimo. Os lubrificantes são aplicados antes da relação sexual e facilitam a penetração, auxiliando em um sexo mais confortável e aliviando a sensação de dor, tendo uma ação imediata sobre o ressecamento vaginal e devem ser aplicados a cada relação. Ambos os produtos devem ser aliados, cada um com sua função, na melhora do ressecamento e de seus efeitos sobre a saúde íntima.


Confira hidratantes vaginais que podem auxiliar na melhora dos sintomas causados pelo ressecamento da região íntima:

Vagisex, Intt (R$ 57): O hidratante contém ácido hialurônico e 10 aplicadores.


Clinical, K-Y (R$ 70): O hidratante com ácido lático e vitamina E e 10 aplicadores.



Hyalufem, Abbott (R$ 70): O hidratante contém ácido hialurônico e 10 aplicadores.



LEIA MAIS:



Texto originalmente publicado para o site da Vogue Brasil.

Commenti


bottom of page