top of page

Relações abusivas: a vítima não percebe

Atualizado: 3 de fev. de 2023

BBB 23 já começou com relação abusiva entre Gabriel e Bruna Griphão.

Atenta para não desencadear em violência física, a produção do BBB 23 já interviu na relação tóxica entre Gabriel e Bruna Griphão, na noite deste domingo (22). Tadeu Schmidt entrou dando um aviso (modo papo reto) ao recém-casal formado. Entre suas falas: "Vocês estão percebendo que tem alguma coisa errada? Estou aqui para fazer um alerta antes que seja tarde", seguiu o apresentador. “Quem está envolvido em um relacionamento, talvez, nem perceba, ache que é normal. Mas quem tá de fora consegue enxergar quando os limites estão prestes a serem gravemente ultrapassados".

Ao finalizar o recado, Tadeu lembrou uma frase dita por Gabriel a Bruna: “Olha esse diálogo que aconteceu ontem. Bruna falando: 'Eu sou o homem da relação'. Gabriel falando: 'Mas já já você vai tomar umas cotoveladas na boca'". "Gabriel, em uma relação afetiva, certas coisas não podem ser ditas nem de brincadeira. Esse é o recado que eu queria deixar para vocês", avisou o apresentador.

A reação imediata de Gabriel foi puxar Bruna para um canto tentando convencê-la a falar que os dois estão bem e não são tóxicos. Mais um comportamento abusivo quase a obrigando a dizer que tudo entre eles é normal. E ela, a vítima, fica sem saber ao certo o que fazer e começa a ouvi-lo, induzida pela violência psicológica.

Inúmeras vezes durante a noite agitada pós o discurso do apresentador, Bruna pediu desculpas e disse que também era culpada. Não, Bruna, você não é culpada. Quem ameaçou agressão física e teve comportamento nocivo foi ele, não você. Em outro momento com alguns brothers ela se disse envergonhada e citou o pai. É o Gabriel quem tem que se sentir envergonhado, não você.

Em mais um comportamento claro de que não percebe a violência psicológica que sofre, há um momento em que ela entra no quarto dele e o abraça, ficando em cima de Gabriel. Bruna, não é você que tem que mais uma vez dizer que a culpa é sua, não é você que tem que ampará-lo, não é você que tem que ir até ele. Nesta cena, a postura corporal diz muito. Ele encostado na cama, e ela em cima dele se desculpando e mostrando até um medo de perdê-lo.

Quem já passou por isso? Pedir desculpas para o agressor, ser convencida de que a relação não é tóxica e sim uma conexão que só vocês entendem a profundidade… quem já abraçou o agressor com medo de perdê-lo? Sim, é um ciclo e que se repete. O agressor pune, depois se faz de vítima da situação, promete o que não irá cumprir e um tempo depois o comportamento violento (psicológico ou físico) se repete.

Bruna, não sinta vergonha. As mulheres ainda estão numa construção de seu próprio poder e a rede de apoio está para te fortalecer a sair desses relacionamentos nocivos. Como você bem disse, já vivenciou outras experiências semelhantes. Ao sair da casa, peça ajuda a um profissional e olhe para essa questão. Se libertar de relações nocivas é um despertar para uma nova vida. Desperte! LEIA MAIS:


*Texto originalmente publicado para o site da Vogue Brasil.


Comentarios


bottom of page